quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Sertão começa entrar em colapso por conta da seca. Teixeira já busca alternativas para sobreviver ao caos.


Com quase todos os grandes açudes secos e faltando pouco mais de três meses para fevereiro de 2018, período em que começam as chuvas na região do semiárido paraibano, segundo previsões, os sertanejos já sofrem com a escassez de água.

As chuvas de 2017 não foram suficientes para abastecer os açudes das principais cidades do sertão paraibano e moradores de pequenos municípios, principalmente da zona rural, já estão sendo castigados pela seca.

Na cidade de Teixeira (foto destaque), há 30km de Patos, capital do sertão da Paraíba, moradores já buscam alternativas para sobreviverem ao caos provocado pela seca que assola o município no últimos anos.

“Já estamos acostumado com isso, todo final de ano é assim” disse Carlos Alberto, 56 anos, morador da cidade de Patos. Carlos e sua esposa, Gizélia Dantas, ambos vivem da aposentadoria, tiveram que destinar parte da renda mensal na aquisição de um reservatório para estocar água. “Já estamos nos preparando para o pior, a medida agora é usar somente o necessário e rezar para que o próximo ano tenha um bom inverno.

Segundo o estudioso em meteorologia Rodrigo Cezar  Limeira “a esperança era de uma grande estação chuvosa em 2018 no interior da Paraíba, com a La Niña tendendo a ser fraca e se formando bem no final de 2017 ou início de 2018, a expectativa não é de muita chuva para o próximo ano no Cariri, Sertão e Alto-sertão da Paraíba”.

Se forem confirmadas as previsões do estudioso, o sertão e cariri paraibano deverão enfrentar mais uma grande seca em 2018 e precisarão contar com medidas emergentes a fim de garantir a sobrevivência dos que moram nessas áreas.

Fonte: maispatos.com

0 comentários:

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial