Últimas Notícias

Adelson, um idoso que tem a mentalidade de uma criança e adora brincar de carrinhos

É comum encontrar nas ruas de Patos, Teixeira e Matureia, o senhor José Adelson Nogueira, conhecido por todos apenas pelo primeiro nome “Adelson”.
Adelson nasceu em Matureia e a maior parte da sua família vive na cidade de Teixeira. Tem 65 anos e a mentalidade de uma criança. Adora brinquedos e tem um fascínio fora do comum por carrinhos. Além dos carrinhos é fascinado também por fotografias, CDs, e objetos coloridos.
Ele mora com o irmão José Geraldo na Rua José Elias de Amorim, no bairro Santa Maria (Malvinas), em Teixeira. Tem três irmãos legítimos: José Geraldo Ângelo e Maria Estela Nogueira; e uma irmã por parte de pai. A família não encontrou um documento que ateste o ano que ele nasceu, mas garante que foi em 1953.
Adelson, segundo disse o irmão, passa o tempo brincando com os seus carrinhos no quarto e, quando sai, fecha a porta e leva a chave, porque tem ciúmes dos seus brinquedos e não permite que ninguém chegue perto. Durante o dia ele perambula nas ruas de Patos, Matureia e Teixeira e as pessoas gostam dele. Viaja para essas cidades pegando carona e já se tornou conhecido em toda a região.
Ele tem a mentalidade de um menino, mas a família não dispõe de um laudo médico sobre o problema dele. O idoso-criança é sem maldade, manso, só fica chateado quando lhe botam apelidos e só pensa em brincar. Muitos dos seus carrinhos é a própria família que compra e outros ele ganha de presente das pessoas.
Ele perdeu os pais ainda cedo e sempre viveu com o irmão Geraldo, que é casado e tem quatro filhos. A família é carente. Geraldo foi funcionário da Prefeitura de Teixeira, trabalhava na limpeza urbana, e hoje está aposentado. Adelson também recebe uma aposentadoria, que a família administra.
O idoso-criança é muito conhecido em Patos, anda nas lojas, recebe presentes, e fica encantado quando vê um brinquedo. Não conseguimos saber se o problema dele é congênito ou adquirido, pois a própria família tem dificuldades de falar sobre o problema, mas, segundo Thadeu Filmagens, blogueiro e agente cultural em Teixeira, a cidade já o conheceu dessa forma. “Já o conhecemos assim, há muito tempo, por isso acreditamos que o problema dele não foi adquirido, é de nascença”, disse ele.
Todos os sábados à tarde, mais ou menos a partir das 16 horas, Adelson comparece no Bar da Betânia, no Centro Comercial Canudos, em Teixeira, onde, por iniciativa própria, limpa todas as mesas. Os clientes gostam dele e lhe dão comida e às vezes uns trocados. Os trocados que ele recebe só tem uma finalidade: comprar brinquedos.
Se alguém pergunta a Adelson a idade dele, a resposta é sempre a mesma: “Tenho cinco anos”.

Fonte: Folha Patoense