Últimas Notícias

A inocência e o encanto do popular Adelson ao conhecer a praia


As redes sociais pararam nesta quinta-feira, 06, para admirar a inocência e o encantamento de José Adelson Nogueira, "Adelson" de 65 anos ao conhecer à praia na cidade de João Pessoa, capital paraibana. Ele teve a oportunidade de conhecer às águas do mar junto aos demais idosos que fazem parte do centro de convivência do idoso da secretaria de ação social.

Adelson é bastante conhecido nas cidades de Teixeira, Maturéia, e em Patos. Ele ficou extremamente ansioso para a viagem, pois foi o primeiro a chegar na Praça Cassiano Rodrigues no centro, de onde sairia todos os idosos. O ônibus sairia por volta de meia noite, Adelson se antecipou para garantir sua vaga e chegou na praça antes mesmo das 22h. 

Ao chegar em João Pessoa Adelson e os demais idosos foram recepcionados pelo prefeito Nego de Guri. Ao ver a praia, Adelson, foi rapidamente às águas e somente se "banhou", preferiu não se molhar por completo. O encantamento foi instantâneo.

O vídeo do momento foi divulgado nas redes sociais e já foi assistido por milhares de teixeirenses que ficaram simplesmente encantado. 

Muitos dos idosos nunca tinham visitando uma praia como também era o caso de Adelson. Ele disse ter ficado muito feliz e demonstrou essa animação juntos aos demais dançando muito forró.

CONHEÇA ADELSON



Adelson nasceu em Maturéia, mas a maior parte da sua família vive na cidade de Teixeira. Tem 65 anos e a mentalidade de uma criança. Adora brinquedos e tem um fascínio fora do comum por carrinhos. Além dos carrinhos é fascinado também por fotografias, CDs, e objetos coloridos.
Ele mora com o irmão José Geraldo na Rua José Elias de Amorim, no bairro Santa Maria (Malvinas), em Teixeira. Tem três irmãos legítimos: José Geraldo Ângelo e Maria Estela Nogueira; e uma irmã por parte de pai. A família não encontrou um documento que ateste o ano que ele nasceu, mas garante que foi em 1953.
Ele tem a mentalidade de um menino, mas a família não dispõe de um laudo médico sobre o problema dele. O idoso-criança é sem maldade, manso, só fica chateado quando lhe botam apelidos e só pensa em brincar. Muitos dos seus carrinhos é a própria família que compra e outros ele ganha de presente das pessoas.
Se alguém pergunta a Adelson a idade dele, a resposta é sempre a mesma: “Tenho cinco anos”.
Historico de Adelson- Wandecy Medeiros- Folha Patoense
Vitinho Galdino/ Teixeira em Foco