Últimas Notícias

Menino baleado na cabeça por irmão tem evolução 'satisfatória' e respira sem aparelhos, na PB



Cinco dias após o acidente, o menino de 12 anos baleado pelo irmão de 14 anos, em Catolé do Rocha, no Sertão da Paraíba, segue evoluindo o quadro clínico e já respira sem ajuda de aparelhos, conforme relatou na tarde desta terça-feira (24) a coordenadora da Unidade de Tratamento Intensivo Infantil do Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande, Noadja Andrade.

De acordo com a coordenadora da UTI Infantil dos hospital, a evolução neurológica do menino é satisfatória. “O estado de saúde dele é satisfatório, mas ele permanece na UTI porque ainda precisa de cuidados intensivos. E não podemos dizer que ele não corre risco de morrer, isso é algo que não podermos afirmar”, explicou Noadja Andrade.

Segundo a coordenadora, a criança, que sofreu fratura e afundamento do crânio, foi submetida a neurocirurgia. “A lesão neurológica também está em evolução satisfatória”, salientou.

O menino de 12 anos está internado no Hospital de Trauma de Campina Grande desde o dia 19 de setembro deste ano, após ser atingido por um tiro feito acidentalmente pelo irmão dele, um adolescente de 14 anos. De acordo com a polícia, os irmãos estavam brincando com a arma do pai quando um disparo acertou a cabeça da criança.

Pai dos meninos tinha arma irregular há 25 anos

O pai dos meninos tinha a arma irregular há 25 anos e deixava o equipamento no guarda-roupa, conforme relatou o delegado Seccional Sylvio Rabello, que acompanha o caso. Segundo o delegado, o homem vai responder por posse ilegal de arma de fogo, e o adolescente de 14 anos, que atirou no irmão mais novo, vai responder por ato infracional análogo ao crime de lesão corporal culposa, quando não há intenção.

Conforme o delegado, o adolescente de 14 anos provavelmente já sabia onde a arma do pai estava guardada. “Por ter ido apanhar aquela arma, ele já sabia o local certo onde estava a arma e o pior: a arma estava municiada, que foi justamente essa munição que veio a atingir o irmão dele de 12 anos de idade”, disse o delegado em outra ocasião.


Fonte: G1 PB