sexta-feira, 10 de janeiro de 2020

Equipe do Fantástico esteve na Paraíba e vai mostrar mais uma vez detalhes da Operação “Pés de Barro” no domingo


Uma equipe do Fantástico da TV Globo esteve em Uiraúna, na Região Metropolitana de Cajazeiras, na tarde desta última quinta-feira, 09, e durante todo o dia desta sexta-feira, 10.

A reportagem esteve gravando entrevista com algumas pessoas carentes que não tem condições de comprar água e continuam consumindo o líquido precioso da Barragem Capivara, e também visitou algumas obras que estão paralisadas em Uiraúna, entre elas a Rodoviária.

O destaque principal da matéria que vai ao ar no próximo Domingo dia 12, será a “Operação Pés de Barro”, deflagrada pela Polícia Federal no dia 21 de dezembro de 2019, onde o prefeito de Uiraúna, Bosco Fernandes foi preso em sua residência, e o Deputado Wilson Santiago foi afastado do cargo pelo Ministro Celso de Mello, acusados de receber propina da construção da Adutora Capivara.

Além do prefeito uiraunense, também foram presos Evani Ramalho e Israel Nunes de Lima, ambos assessores de Wilson Santiago, e Severino Batista do Nascimento Neto, motorista de Bosco.

Evani Ramalho está em prisão domiciliar desde o último dia 8 de janeiro, após a sua defesa alegar que ela foi presa após dois dias de uma cirurgia estética e estaria em recuperação. O juiz determinou que ela prosseguisse em prisão domiciliar com o uso de tornozeleira eletrônica.

Operação Pés de Barro: Entenda o caso

As investigações apuram pagamentos de vantagens ilícitas (propina) decorrentes do superfaturamento das obras de construção da Adutora Capivara, a qual se trata de um sistema adutor que deve se estender do município de São José do Rio do Peixe/PB ao município de Uiraúna/PB.

As obras contratadas, inicialmente, pelo montante de R$ 24.807.032,95 já teriam permitido, de acordo com as investigações, a distribuição de propinas no valor R$ 1.266.050,67.

O inquérito policial federal teve por base uma proposta de colaboração premiada, apresentada pela Polícia Federal e acolhida pelo Exmo. Ministro Relator no STF. Foi ainda determinado pelo Poder Judiciário a indisponibilidade de bens imóveis em nome dos investigados. Tal medida tem por objetivo ressarcir os cofres públicos dos desvios apurados.

Crimes investigados

Os investigados deverão responder pelos crimes de peculato (art. 312 do Código Penal), lavagem de dinheiro (art. 1º da Lei 9.613/98), fraude licitatória (art. 90 da Lei 8.666/93) e formação de organização criminosa (art. 2º da Lei 12.850/2013).

Nome da operação

O nome da operação é uma alusão a um termo bíblico que serve para identificar, na vida pública, os falsos valores políticos, ou seja, os líderes carentes de méritos intrínsecos.

Nabucodonosor, antigo rei da Babilônia, teve um sonho interpretado pelo profeta Daniel no qual uma grande estátua de ouro, cobre e prata desmoronara por ter os pés de barro. O termo pés de barro, então, passou a designar as riquezas cuja base não se sustenta do ponto de vista moral.

Superintendência da Polícia Federal na Paraíba

Comunicação Social.

Uiráuna em Foco

Whatsapp Button works on Mobile Device only