quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020

Aluno saca arma de brinquedo dentro de escola e assusta colegas em São Paulo

Foto: reprodução
Um aluno do ensino médio de uma escola estadual de Santos, no litoral de São Paulo, foi flagrado por um colega com uma réplica de arma de fogo dentro da sala de aula. A foto viralizou entre os grupos dos estudantes da escola e gerou pânico entre os jovens, que cobraram a diretoria da escola. 

Segundo alunas ouvidas pelo G1, que preferem não se identificar, o rapaz é acusado de assediar várias meninas da unidade. Procurados pelo G1, os responsáveis pelo estudante não quiseram se pronunciar.

Uma aluna da escola, que preferiu não se identificar, contou ao G1, nesta quarta-feira (19), que recebeu a imagem pelas redes sociais e que se assustou ao pensar nas consequências da repercussão do caso. "Não acreditei no primeiro momento que vi. Não achei que fosse no Marquês de São Vicente. Mas aí caiu minha ficha e fiquei com medo de acontecer algo pior, dele se revoltar com a repercussão e tentar fazer algo contra todo mundo", desabafa.

O caso aconteceu na manhã de segunda-feira (16) em uma aula da turma do 2º ano do ensino médio na Escola Estadual Marquês de São Vicente, em um dos bairros mais nobres de Santos, mas a diretoria só tomou conhecimento do caso no dia seguinte, na terça-feira (17). Uma foto mostra o aluno, de 16 anos, segurando a arma com a mão e apontando para o alto.

Segundo funcionários da escola, o clima no local é de insegurança e, de acordo com a aluna, há tensão entre estudantes e a direção. "Estão todos revoltados. Querem se unir e fazer protestos cobrando ações efetivas", disse. Dezenas de alunos se reuniram, nesta quarta-feira (19), para protestar e pedir providências no intervalo das aulas.

Outro estudante contou ao G1 que uma representante da direção da escola passou nas salas de aula para falar sobre o caso na terça-feira. "Ela foi dar lição de moral para a gente, dizendo que não deveríamos divulgar o caso porque não passava de um mal entendido", disse.

O G1 conversou com alunos que estudam na mesma sala e conhecem o jovem que levou a arma. Esses estudantes afirmaram que ele ameaçou garotas da mesma turma e que as assediava com certa frequência. "Minhas amigas já me contaram que ele chegou a mostrar o órgão genital para elas", disse um dos alunos.

Segundo apurado pela reportagem, as garotas encaminharam uma denúncia sobre o assédio à direção da escola, mas nada foi feito em relação ao estudante. De acordo com testemunhas, o aluno teria levado a arma à escola para ameaçar as estudantes e impedi-las de repercutir o caso entre os demais alunos.

Diretoria de Ensino

Procurada pelo G1, a Diretoria Regional de Ensino de Santos informou que os responsáveis pelo aluno compareceram na escola e todas as medidas cabíveis estão sendo tomadas. O Conselho da Escola deve se reunir nos próximos dias e as atividades na unidade seguem normalmente. A direção destacou, ainda, que atendeu todos os pais e continua à disposição para quaisquer esclarecimentos.

Polícia Militar

Em nota, a Polícia Militar afirma que a ronda escolar foi acionada, na terça-feira (18), pela diretora da escola, solicitando a presença da viatura para averiguar um aluno que poderia estar portando uma arma de fogo. A equipe foi até o local, a direção acionou o aluno e foi realizada a revista da mochila na presença dos policiais militares. Como nada foi encontrado e houve a notícia de que o vídeo foi registrado no dia anterior, a direção da escola dispensou a ronda escolar.

Segundo a PM, a mãe do aluno e a diretora conversaram sobre o assunto e o suposto assédio, mas fizeram em particular, sem a presença dos policiais militares. Nessa ocasião, foi apresentada a arma de brinquedo como sendo a que aparece nas imagens divulgadas por meio de grupos de WhatsApp.

A PM destaca que diariamente efetua as rondas na unidade de ensino, principalmente no horário de entrada e saída de alunos, registrando os fatos em livro de ronda e relatórios próprios do programa de policiamento.

Whatsapp Button works on Mobile Device only