sexta-feira, 8 de maio de 2020

Leitos exclusivos para tratamento de pacientes da Covid-19 crescem 72% em 50 dias na Paraíba

Novos leitos de UTI Covid-19 em Hospital Metropolitano de Santa Rita, na Grande João Pessoa — Foto: Divulgação/SES

Em menos de um mês, a Paraíba quase dobrou o número de leitos exclusivos para tratamento da Covid-19 em 50 dias. Entre 16 de março e 6 de maio, o número de leitos, enfermaria e UTI, passou de 379 para 654 leitos, um crescimento aproximadamente de 72%.

No mesmo período em que foi registrada a ampliação gradativa do número de leitos, os registros de internações hospitalares por Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) também apresentou um incremento. A Paraíba saiu de 130 pacientes hospitalizados por Srag no dia 26 de março para 212 internados com síndrome respiratória no dia 6 de maio. O crescimento foi de 63%, um pouco abaixo do ritmo de expansão dos leitos,

A Paraíba tem convivido com uma média de 100 novos casos confirmados do novo coronavírus desde o fim de abril. O secretário de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, chegou a afirmar em entrevista que estado passa por um momento de pico dos casos. Em meio fase mais aguda do contágio do coronavírus no estado, as taxas de isolamento social, medidas pelo deslocamento das pessoas a partir dos aparelhos celulares, está em queda.

No dia 6 de maio, último com ampliação dos leitos para tratamento do coronavírus na Paraíba, a taxa de isolamento foi de 43%, uma das mais baixas dos últimos 15 dias. A Paraíba não atinge o índice de isolamento social de 50%, o mínimo recomendado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) da Paraíba desde o 21 de abril.

Geraldo Medeiros foi enfático ao afirmar que a tendência de crescimento de casos, aliada a queda do isolamento social pode gerar o colapso da rede hospitalar estadual. O governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania), explicou, no entanto que a estratégia de ampliar a oferta de leitos para Covid-19 tem funcionado, evitando assim que o estado adote medidas drásticas como um bloqueio total das atividades (lockdown).

"Se as pessoas decidirem ir às ruas, teremos de endurecer, a cada dia, as medidas que serão necessárias para evitar o colapso no sistema de saúde. Nessa lógica é que vamos estar trabalhando, analisando os números a cada dia. Se houver indicação de que o lockdown produzirá efeitos positivos, nós tomaremos essa medida”, comentou o governador.

G1 PB

Whatsapp Button works on Mobile Device only