quinta-feira, 7 de maio de 2020

MPF investiga responsabilidade de banco por aglomerações em filas, na Paraíba

MPF abre inquérito para apurar responsabilidade por aglomerações em filas da caixa, na PB — Foto: TV Cabo Branco/Reprodução
O Ministério Público Federal (MPF) abriu um inquérito para apurar responsabilidades por aglomerações em filas próximo das agências da Caixa Econômica Federal, na Paraíba. De acordo com a portaria de abertura do procedimento, devem ser averiguadas as medidas que o banco vem adotando para melhorar o atendimento bancário nas agências. Também serão verificadas quais providências a União, os estados e os municípios estão adotando para a extinção, redução ou organização das aglomerações para diminuir riscos de contaminação da população pelo coronavírus.

O G1 enviou solicitação de resposta sobre o assunto à assessoria da Caixa Econômica Federal, mas não recebeu informações até a publicação desta matéria.

De acordo com a investigação, foram consideradas para a abertura do inquérito a grave crise sanitária em todo o mundo, que impõe a adoção de vários cuidados, dentre os quais o distanciamento social, que é de conhecimento público.

"Inúmeras pessoas se aglomeram nas portas das agências da Caixa Econômica Federal em todo o país, aguardando atendimento bancário, sem que, aparentemente, qualquer providência seja tomada pela empresa pública federal, pela União, pelos Estados ou pelos Municípios para diminuir a concentração de pessoas ou, ao menos, organizar a entrada dos cidadãos- usuários", diz trecho do documento.

Segundo o inquérito instaurado pelo procurador da república Bruno Galvão Paiva, a possível omissão na tomada de providências, além de violar direito do consumidor aos serviços bancários e ao atendimento dentro de tempo razoável, aumenta o risco de contágio e proliferação do coronavírus.

Whatsapp Button works on Mobile Device only